O heroi e a politica brasileira

O ano de 2013 ficou marcado na historia do Brasil (Pizzaria Brasil) como sendo o ano em que o gigante acordou. Mas foi no ano de 2012 que assistimos ao maior espetáculo jurídico brasileiro, o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal e com ele vimos se formar o heroi da capa preta.

superhomemO ano de 2013 ficou marcado na historia do Brasil (Pizzaria Brasil) como sendo o ano em que o gigante acordou. Mas foi no ano de 2012 que assistimos ao maior espetáculo jurídico brasileiro, o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal e com ele vimos se formar o heroi da capa preta.

Vamos relembrar alguns herois, salvadores da pátria que surgiram desde a promulgação da Constituição Federal de 88.

Em 89 o pais vivia nos 90% de inflação, quando surgiu Collor, nosso salvador que iria acabar com os marajás. Candidato que contratou a Rede Globo para vencer, basta fazer uma pesquisa no Youtube:

Mas como o heroi criado cometeu seus erros, surgiu outro heroi “cara pintada” (como se fosse o único) Lindberg Farias, ue de la pra cá só vem fazendo carreira politica.

Passados 4 anos do primeiro heroi, surgiu outro que iria estabilizar a economia do pais com mais um plano econômico, o FHC. Mas esse heroi tucano também cometeu seus erros, vendeu algumas estatais mas não pagou nada da divida externa. Em seus 2 últimos anos de mandato, soltou as rédeas da inflação, chegando a ter um aumento de 400% de aumento no gás de cozinha(em 2000 custava R$ 6,50, em 2002 estava em R$ 30) e a culpa é sempre das crises externas.

Dai surgiu outro heroi, o populista Lula que aguardava ansiosamente por uma chance de governar e resolver o problema dos pobres. De 2002 pra cá, nunca apareceu oposição ou um candidato de peso, somente o eterno candidato Serra. De lá pra cá, nunca a imprensa teve tantos assuntos para criticar o governo. Esse talvez tenha sido um dos piores herois porque muitos acreditaram pois era a figura do povo.

Em 2013 a revista Veja tentou fazer mais um heroi do povo, o das manifestações, mas não colou pois hoje temos a internet como uns dos principais meios de comunicação. Ainda na atualidade temos outros herois a exemplo Dep. Tiririca como “o cara que comparece pra trabalhar”, Dep. Reguffe como “o cara que não pega dinheiro da CEAP (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar)”, já ouvi também a clássica “vou votar no fulano porque não aparece nada dele”. Vejam que tipo de legisladores nós gostamos, basta ser honesto!!! Uh, que grande qualidade para um legislador, ironicamente falando.

Agora em 2014 estamos em ano de eleições presidenciais novamente e precisamos tomar cuidado com o novo salvador da pátria que certamente vai aparecer. E eu lhes digo, basta ver que esses ídolos de argila não falam nada de mudanças concretas e duradouras, apenas discursos vagos como sempre. O da capa preta, Joaquim Barbosa era pra ser o Batman brasileiro que iria caçar a corrupção no Brasil.

Mas o que é ser um heroi?

No Wikipedia, heroi é “uma figura arquetípica que reúne em si os atributos necessários para superar de forma excepcional um determinado problema de dimensão épica”, “guiado por ideais nobres e altruístas”, sempre trazendo a lembrança de uma figura de coragem e superação. O heroi mais famoso de todos os tempos talvez tenha sido o personagem mitológico Hércules, tão admirado por seus feitos e suas virtudes.

E o que um heroi atual necessita?

Hoje um politico precisa ter a coragem de mexer em vespeiro e pensar em mudar alguns legados da monarquia que nossa Constituição Federal nos apresenta:

1. Os ministros do STF são indicados pela presidência; 2. O P.G.R., chefe do Ministério Publico Federal é indicado pela presidência; 3. 1/5 dos juízes dos Tribunais Superiores e membros do Ministério Publico são indicados pela presidência; 4. O presidente do TSE sempre é um ministro do STF; 5. No processo eleitoral, os juízes e réus são as mesmas pessoas; 6. A Globo foi citada no processo do mensalão, mas não se ouviu nada; 7. A Globo deve para a Receita Federal alguns bilhões, o processo sumiu e não se ouve nada; 8. Nenhum fala da Lei dos Meios ou Ley de Los Medios que democratizou os meios de comunicação na Argentina; 9. Nenhum fala em regulamentar as concessões de radio e TV, a fim de democratizar os meios de comunicação. (Enquanto que a Globo detêm por volta de 70% de concessão, nos Estados Unidos o máximo é de 4%);

10. Não falam que certas empresas de rádio e TV pertencem a políticos e suas famílias; 11. Nenhum fala que ministros do executivo, como educação, saúde, esportes não devem ser políticos mas sim especialistas na área, a exemplo de Mário Cortella, Lair Ribeiro, Nuno Cobra, etc;

Todos queremos cobrar mais educação, mas pelo menos vamos estudar um pouco a Constituição para entender a corrupção. Não basta não votar, não basta ficar nervoso e criticar, pois falar mal da politica a imprensa já faz e nada muda. Manifestações, protestos, além de mortos e feridos, o que ganhamos? Que tal se conseguirmos levar leis prontas para aprovarem segundo o artigo 14 da Constituição? Iremos esperar que politicos de carreira deixem de legislar em causa própria?

Eu ficarei de olho pra lhes provar que nenhum é corajoso o suficiente para mexer na caixa de pandora da comunicação.

Não se faz manifestação em massa sem a imprensa!

E vamos ver quem será o próximo heroi da hollywood brasileira.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.