Conteúdo e informação

Brasil, um gigante nos perigosos Títulos do Tesouro dos EUA

Por Odair Deters

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos emite os treasuries, ou simplesmente Títulos do Tesouro, ou Títulos da sua dívida pública, papéis, que são comprados por governos estrangeiros como um investimento, eles refletem uma demonstração de confiança na economia dos EUA. Na compra de um Título do Tesouro dos EUA, o comprador está emprestando dinheiro ao governo estadunidense, durante um determinado período de tempo.

O Brasil recentemente saiu-se bem, pelo que acabou sendo chamado de atraso benéfico, onde a economia sofreu menos do que se esperava com a atual crise que abalou os mercados, no entanto, embora a economia brasileira merecesse destaque, o país não deixou de cometer deslizes, seus recentes superávits lhe propiciaram oportunidade para aumentar consideravelmente os seus investimentos em títulos do Tesouro norte-americano nos últimos anos, e atualmente ocupa o sexto lugar no ranking dos maiores detentores estrangeiros de títulos dos EUA, este ranking tem entre os primeiros colocados a China, Japão, Reino Unido, Países exportadores de Petróleo, e os centros bancários do Caribe.

No entanto, como os Estados Unidos finalmente começa a assemelhar-se a antiga Cartago e seu império demonstra estar ruindo, o governo estadunidense têm se envolvido num endividamento excessivo como sua intervenção para salvar os bancos em crise, com isto as perspectivas de compra do Tesouro dos EUA tornaram-se menos atraentes, e os economistas que não se encontram inebriados, começam a dar-se conta da ameaça que estes títulos representam, pois não são mais um investimento seguro.

No inicio de 2009, os EUA através de Hilary Clinton instigou a China a continuar comprando os títulos do Tesouro dos EUA, conforme foi divulgado na mídia, como forma do governo financiar o pacote de estímulo que Barack Obama vislumbrava, e para isto pressionou, lembrado que os EUA é atualmente o maior comprador individual das exportações que impulsionam o crescimento da China.

Outro fato corrente e necessário de citação refere-se ao investidor Warren Buffet, tido como um dos indivíduos mais ricos do mundo, o mesmo passou a advertir quanto à compra de títulos do Tesouro dos EUA.

Através dos Mercados de Títulos à China conseguiu algemar os EUA, e a economia do Tio Sam rotineiramente analisa os perigos que ocorreria se a China começasse à reduzir drasticamente sua participação no montante de Títulos que possui, no entanto a economia chinesa tem uma dependência muito grande do consumo nos EUA. Neste patamar ambos os países estão a atrasar o inevitável, com a China realizando investimentos inúteis e o mundo com fé acreditando na economia dos EUA.

Os EUA mergulharam, e o que estamos esperando é só quanto tempo o fôlego deles agüentará, quando este faltar o dólar entrará em colapso, e como digo costumo dizer: poderemos quem sabe ascender uma fogueira utilizando as cédulas que antes movimentavam o mundo.

No entanto é difícil alguém se firmar como um idiota consciente, e a China no final de 2009 em busca de segurança, começou a sua fuga dos Títulos dos EUA, e de forma sensível começou a reduzir suas reservas em Títulos, o maior parceiro comercial dos EUA, começava a não mais acreditar. Saturada com Títulos do Tesouro, a terra mandarim maior depositária dos papéis estadunidenses, declarou assim claramente não confiar neste caminho liso e escorregadio que está a conduzir um colapso econômico.

O que passa a assustar a economia brasileira agora é justamente a quantidade em valores de títulos da dívida do EUA, que estão com o Brasil. A China maior parceiro comercial dos EUA, já votou, dizendo que não confia mais na superpotência, enquanto isto o Brasil segue se achando a última bolachinha do pacote, e não se flagra. Nos últimos anos enfrentamos graves “bolhas” como a da internet e a imobiliária, e o mundo globalizado dividiu os prejuízos , algumas nações sofreram menos e outras mais, e no curto prazo vêm em cena a eminência de uma extraordinária bolha de Títulos do Tesouro dos EUA, e novamente algumas nações sofrerão menos e outras mais, o assustador é que pela quantidade de Títulos em posse do Brasil, parece que nos encontraremos em lamurio se não nos livrarmos destes papéis desacreditados.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.